LIDERANÇA SERVIDORA

Na apresentação em que me exponho, me mostro na medida como sou. Caminho pelo Brasil inteiro, indo às Lojas Maçônicas, na verdade, a célula maior do Grande Oriente do Brasil e mantenedora através dos maçons que as integram, das estruturas estaduais e federal e, mais importante ainda, praticantes das ações sociais, das representações em suas comunidades e defensoras permanentes da família como estrutura maior da Maçonaria.
Assim fazendo, peregrino buscando plantar em nossa instituição aquilo que me convence do que é ser maçom. Maçom está intrinsecamente fazendo parte do servir, de uma liderança servidora.
Leio no presente momento o livro “O Monge e o Executivo”, Editora Sextante, autoria de James C Hunter. O autor traz a tona uma dura constatação e nos convida a refletir sobre nosso comportamento.
Ai eu pergunto, meus irmãos maçons: Será que estamos agindo como verdadeiros líderes em casa, no trabalho, com os amigos, nas Lojas e com os irmãos?
O livro traz novas percepções a respeito de como as pessoas podem vencer suas barreiras internas e fazer mudanças significativas em suas vidas, ensinando os passos necessários para o desenvolvimento das habilidades de liderança.
“Liderar é servir. Essa é a abordagem que o livro “O monge e o executivo – uma história sobre a essência da liderança” traz sobre como pensar e praticar liderança servidora. É possível identificar vários estilos de liderança, como o carismático, o democrático, ou ainda o autocrático e outros tantos que viram até modismos durante um certo tempo entre alguns “especialistas”. Contudo, com um mundo corporativo mais competitivo e uma busca frequente por bons resultados, como desenvolver um estilo de liderança onde possa atender o ser humano de forma satisfatória?”
“A proposta da liderança servidora, se acredita ser um modelo palpável, idealista ou se é insignificante. A liderança servidora se fundamenta na figura de Jesus Cristo, personagem que mesmo após a sua morte consegue influenciar diversas pessoas. Jesus desempenhou sua liderança de um jeito até então especial. Ele ensinava através de parábolas (pequenas histórias) e provocava a reflexão de seus discípulos, fazendo-os entender a importância de se superarem e de cumprirem certas tarefas”.
Deixo aqui para meditação alguns pensamentos do livro “De volta ao mosteiro”, que nos leva à reflexão e autocrítica. Sobre o fracasso: “Minha grande preocupação não é se você falhou, mas se está contente com sua falha”. “O fracasso não é a queda e sim a permanência no chão”.
Sobre revendo conceitos: “O bem feito é melhor do que o bem falado”. Sobre liderança: “Liderança não é um cargo, é uma responsabilidade”. Sobre líderes: “Os líderes não nascem prontos, mas se fazem”. Sobre gerenciamento: “Quer gerenciar alguma coisa? Vá gerenciar o seu estoque. Gente não se gerencia, lidera-se”.
Sobre poder: “O valor do poder coercitivo é proporcionalmente inverso a sua utilização”. Sobre autoridade: “Como o poder corrompe, a demanda da sociedade por autoridade moral e caráter, aumenta à medida que aumenta a importância da posição”. Sobre serviço: “O amor tem que ser posto em prática e essa prática é servir”. Sobre críticas: “Quem faz cara feia quando ouve críticas não deveria sorrir quando é elogiado”. E por último, sobre caráter: “Caráter é o que você é no escuro, quando não há ninguém olhando”.
Este é o momento em que o Grande Oriente do Brasil, em transição para um novo período, transição que a sociedade brasileira sofrendo também passará. Possamos nesse pleito eleitoral, marcado para 10 de março de 2018, ter a reflexão de que é momento de rever atitudes, posições e decisões, sobretudo, no interior da instituição e na prática de cada um. É hora de que a caminhada reflita com nitidez os ensinamentos dos princípios fundamentais de nossa Ordem.
Assim definido, vou caminhando com meu compromisso de vida e de vida maçônica, que sempre foi de harmonizar. O Grande Arquiteto do Universo me concede nesta hora, a dádiva de levantar no GOB a bandeira “Harmonizar”. Eu a levanto com todas as minhas forças, com todo meu sonho para que o caminhar do GOB, que é histórico, não seja interrompido e se torne cada vez mais leve, mais cheio de fraternidade. Ao colocar nosso programa (Barbosa e Ademir) em discussão perante os irmãos de todas as Lojas Maçônicas, o faço determinado a cumprir um mandato de harmonia e concórdia, sobretudo respeitando as mais distintas opiniões. A fraternidade, fundamento básico para ser maçom, me indica o caminho da superação, e eu o percorrerei.
Esta liderança servidora que faz parte da minha vida maçônica desde 26 de agosto de 1978, me aperfeiçoou para neste pleito, sobretudo, construir um compromisso no tripé “Harmonizar, Inovar e Crescer”.
Harmonizar fundamento essencial para uma proposta de gestão, para um plano diretor. Elo importante de ligação para o desenvolvimento e implementação de todas atividades. É muito significativo estimular e revigorar todas as atividades maçônicas de âmbito nacional, regional e municipal.
No “Inovar”, estabeleceremos como ponto principal a criação de uma Ouvidoria, para aprimorar permanentemente toda prestação de serviços. Canal de comunicação para receber sugestões, avaliar os serviços e também receber críticas. Sobretudo, através das críticas, iremos melhorar os serviços oferecidos pelo GOB sempre com retorno para os maçons.
Ainda no “Inovar” uma comunicação de fácil acesso e imediato, com ênfase em cultura maçônica, GOB Empreendedor, Banco de palestrantes, Faculdade GOB e Biblioteca Virtual, convênios na área de saúde, GOB junto de você, estrutura organizacional, otimização e dinâmica do orçamento, anuário social, Programa Nacional de Orientação Ritualística, Secretaria Nacional da Juventude Maçônica, Maçonaria a Favor da Vida – Contra as Drogas, Tema nacional de participação maçônica.
No “Crescer”, Fórum de Veneráveis Mestres, financiamentos pelo GOB, reconstrução de templos, Suprema Congregação itinerante, intercâmbio, juventude maçônica e Fraternidades Femininas, fundação de Lojas, evasão maçônica, metas, encontros nacionais de tribunais e intervisitação.
Juntos estamos caminhando para fazer diferente e vamos fazer diferente, fundamentado numa liderança servidora.

Barbosa Nunes, advogado, ex–radialista, membro da AGI, delegado de polícia aposentado, professor e maçom do Grande Oriente do Brasil – barbosanunes@terra.com.br